História do Clube


O Futebol Clube de Arouca é um clube já relativamente antigo com cerca de sessenta anos de existência. Foi fundado em 25 de Dezembro de 1952 por um grupo de arouquenses de entre eles Fernando Pinto Calçada, Valdemar Leite Duarte, António Guilhar, Telmo Rocha, Joaquim Ferreira, Aparício Gomes Alves, Manuel Sousa Ferreira Pinto e Victor Freitas. À partida teve o nome de Ginásio Clube de Arouca e albergava não só futebol, como também voleibol, râguebi e ping-pong. Passados alguns anos e com a influência do ilustre portista e benemérito arouquense Afonso Pinto de Magalhães, o clube filiou-se no Futebol Clube do Porto (filial nº40) e passou a chamar-se Futebol Clube de Arouca, nome que conserva actualmente.

O primeiro estádio de futebol do Futebol Clube de Arouca, localizado no lugar das Costeiras, entre Arouca e Moldes, utilizado, actualmente, pelas camadas mais jovens do Futebol Clube de Arouca, tem o nome de Campo Afonso Pinto de Magalhães, pelo facto de Afonso Pinto de Magalhães ter comprado o terreno e ter contribuído para a construção do campo de futebol, na altura em que era presidente do Futebol Clube do Porto, tendo sido inaugurado, em 1971, com um jogo disputado entre o Futebol Clube de Arouca e o Futebol Clube do Porto.

O mesmo aconteceu no ano de 2006, na inauguração do novo estádio Municipal de Arouca utilizado pelo Futebol Clube de Arouca, com um jogo disputado entre o Futebol Clube de Arouca e o Futebol Clube do Porto.

Até ao fim do século passado o clube apenas registou presenças a nível distrital tanto na primeira como na segunda divisões distritais de Aveiro. Somente com o virar do século é que o clube começou a apostar cada vez mais alto. Primeiro na conquista da 1ª divisão distrital e respectiva subida aos escalões nacionais, feito este conseguido em 2001 com a sua primeira conquista do campeonato distrital de Aveiro. Na época 2003-2004 voltou a subir às competições, mas de novo, na época posterior, voltou a descer às distritais. A partir desta descida, o clube viu duas épocas a obter resultados de acordo com o que conseguia antes da viragem do século até que em 2006 a direcção da altura propôs-se não só voltar a subir à III divisão nacional, como também subir à II Liga e manter-se nessa divisão no terceiro ano.

Todos estes propósitos foram conseguidos, juntando também a estes a conquista do campeonato e da supertaça distrital de Aveiro de 2007 e uma boa participação na taça de Portugal em 2008. Na época de 2009/2010, o FC Arouca conseguiu o inimaginável feito de subir à Liga de Honra, segundo patamar das competições portuguesas, ao vencer o grupo de apuramento de campeão da II divisão nacional, algo inédito na história do clube, correspondendo assim este notável feito à primeira presença do clube nos campeonatos profissionais e ainda à participação, também inédita na taça da liga portuguesa onde conseguiu seguir até à terceira eliminatória. Após a segunda permanência consecutiva neste patamar o sonho do convívio entre os grandes presente no coração de cada arouquense convicto começou a desenhar-se mais claramente. Assim, no terceiro ano de competição profissional, em 2013, o clube completa mais um passo no seu notável percurso subindo desta feita ao escalão máximo do futebol português, a Primeira Liga Portuguesa para na época seguinte atingir um inédito 12º lugar e a consequente e ambicionada manutenção. O clube continuou durante mais três épocas na primeira Liga de Futebol Português, alcançando o feito inédito de chegar às competições europeias na época 2015-2016, com um quinto lugar e 54 pontos conquistados.

A história continuará a escrever-se…

Desenvolvido por: Sara Camacho